Pular para o conteúdo

Amanda Costa

Lula anuncia aumento do salário mínimo para R$ 1.320 em pronunciamento

Ex.Saúde, Presidente, Governo

Na véspera do Dia do Trabalho, em pronunciamento em rede nacional, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou o novo aumento do salário mínimo e o retorno da política de valorização do mínimo.
O presidente Lula disse que vai enviar ao Congresso Nacional, nos próximos dias, um projeto que vai tornar o reajuste do mínimo acima da inflação.
Segundo o presidente, a medida faz parte do projeto do governo de recompor as conquistas perdidas pelos trabalhadores e trabalhadoras, ao longo dos últimos anos.
Lula também se comprometeu a, até o fim de seu atual mandato, em 2026, aprovar a isenção do pagamento do imposto de renda para quem ganha até R$ 5 mil mensais.
O presidente defendeu a política de valorização do salário mínimo como um “grande instrumento de transformação social”.
Lula lembrou que a valorização do salário mínimo não é essencial apenas para quem o ganha. Ele disse que, com mais dinheiro em circulação, as vendas do comércio aumentam, a indústria produz mais, a “roda da economia” volta a girar e novos empregos são criados.
*Com informações da Agência Brasil
Edição: Leila Santos/Edgard Matsuki

Os servidores da Fundação Casa de São Paulo, os centros onde ficam internados os jovens que cumprem medidas socio-educativas, entraram nesta quinta-feira (4) no segundo dia de greve.

Em meio à queda de braço entre os partidos na Câmara para definir a composição da CPI do MST, os ministros da Agricultura Carlos Fávaro, e do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, falaram sobre o assunto no Senado nesta quinta-feira (4).

Ele substitui o general da reserva Gonçalves Dias, filmado no Palácio do Planalto em meio a golpistas que atacaram as sedes dos Três Poderes no dia 8 de janeiro. Por três semanas o cargo foi ocupado de forma interina por Ricardo Capelli.

Adauto Mesquita foi ouvido nesta quinta-feira (4) na CPI dos Atos Antidemocráticos da Câmara Legislativa do DF. De acordo com a investigação, o empresário teria financiado barracas e alimentação de acampados e ajudado com o aluguel de um trio-elétrico.

Armamento que não foi cadastrado na PF se torna ilegal e pode ser apreendido. Seus proprietários passam a responder por porte ou posse ilegal de arma.

Ailton Barros, preso nesta quarta-feira (3), teve uma conversa com o ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro, Mauro Cid, interceptada pela PF em outro caso – o que investiga a falsificação dos comprovantes de vacina contra covid-19 do ex-presidente e outras pessoas.
Conheça nossos aplicativos nas lojas online da iTunes e Google

source

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
SOBRE MIM
Amanda Costa
Natural do Ceará com 40+ apaixonada pelo Rio de Janeiro e carioca de coração. Defensora de causas sociais e políticas de grande relevância para o nosso Brasil.
#vamosquerer um futuro melhor.
siga amanda costa nas redes sociais
LUTA PELA DEMOCRACIA EM SP