Pular para o conteúdo

Amanda Costa

Professores do RJ aprovam greve por tempo indeterminado

Ex.Saúde, Presidente, Governo

Os professores e funcionários administrativos das escolas estaduais do Rio de Janeiro aprovaram nesta, quinta-feira (11), greve por tempo indeterminado a partir da próxima quarta-feira. 
Os profissionais reivindicam a implementação do piso nacional do magistério e o piso dos funcionários administrativos, tendo como referência o salário mínimo nacional. 
Segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Estado, o projeto do governo para a categoria não incorpora o piso a todas as carreiras, mas apenas reajusta os salários que estão abaixo do piso. Com isso, quem ganha acima do piso não receberia nenhum reajuste. 
Ainda de acordo com o Sindicato, o Rio de Janeiro paga o pior salário do Brasil para os educadores da rede estadual.  
Enquanto o piso nacional é de R$ 4.420, o professor de uma escola estadual tem um piso de R$ 1.588 como vencimento base para18 horas semanais.   
Já os funcionários administrativos, em sua maioria, recebem um piso menor do que o salário mínimo.
A categoria já se encontrava em “estado de greve” desde o dia 22 de março – em mobilização para parar as atividades a qualquer momento. 
Na assembleia na tarde dessa quinta foi aprovada, também, a realização de nova assembleia um dia depois do início da greve e no mesmo dia uma passeata até o Palácio Guanabara, sede do governo do estado. 
Em nota, o governo informou que respeita a decisão de greve dos profissionais e que caberá aos órgãos de justiça verificar sua legalidade. A Secretaria de Estado de Educação destacou que o aumento concedido corresponde ao pagamento do piso nacional no vencimento base para todos os cargos e níveis do magistério que não recebem o valor. E que há garantia de que todos os professores da rede estadual de ensino vão ganhar o determinado no piso nacional.
Edição: Roberto Piza / Alessandra Esteves

Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento, é um aumento de 7,5% em relação ao ano passado e de 14% em relação a 2021.

Governo e parlamentares do Amapá criticaram a decisão do presidente do Ibama, Rodrigo Agostinho, de negar o pedido da Petrobras para explorar os poços de petróleo na Bacia da Foz do Amazonas.  

O especial de comédia do humorista Leo Lins foi  foi retirado por determinação do Tribunal de Justiça de São Paulo, a pedido do Ministério Público. Segundo a decisão,  Lins faz comentários odiosos, preconceituosos e discriminatórios contra minorias e grupos vulneráveis. 

A decisão da Justiça Federal no Maranhão reconheceu as irregularidades na construção do Condomínio Casa do Morro, localizado na Praia de São Marcos, em São Luís.

O objetivo da iniciativa, segundo o setor e Equidade Racial, é acompanhar as atividades realizadas por esses profissionais e contribuir para a prevenção de casos de violência, discriminação e racismo.  

A explicação foi dada pelo general do Exército Gustavo Henrique Dutra de Menezes, ex-chefe do Comando Militar do Planalto. Ele foi ouvido nesta quinta-feira (18) na CPI dos Atos Antidemocráticos da Câmara Legislativa do Distrito Federal.
Conheça nossos aplicativos nas lojas online da iTunes e Google

source

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
SOBRE MIM
Amanda Costa
Natural do Ceará com 40+ apaixonada pelo Rio de Janeiro e carioca de coração. Defensora de causas sociais e políticas de grande relevância para o nosso Brasil.
#vamosquerer um futuro melhor.
siga amanda costa nas redes sociais
LUTA PELA DEMOCRACIA EM SP